domingo, 2 de março de 2014

RA V- Sobradinho

Localizada a 22km do Plano Piloto, ao norte do Distrito Federal, Sobradinho é a única cidade da região localizada numa serra. Só isto já lhe confere um ar diferente das demais. A zona rural rica em agroindústrias e belezas naturais facilitou a instalação de fazendas, chácaras, hotéis-fazendas e restaurantes rurais que surgiram em meio ao cerrado, com suas cachoeiras, morros e árvores torcidas.
Assim como Brasília, Sobradinho também é uma cidade planejada. O plano da cidade foi elaborado entre 1958 e 1959 pelo engenheiro Inácio de Lima Ferreira. A quinta Região Administrativa foi fundada em 13 de maio de 1960. Em 2011, a população estimada da cidade pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) é de 85 mil habitantes.

É neste ambiente que vem crescendo o setor de ecoturismo de Sobradinho, aproveitando o lazer para levar o homem a seu habitat natural, longe dos conturbados centros urbanos. Tudo isso sempre com a preocupação de não afetar o ecossistema. No restaurante Trem da Serra, por exemplo, tudo foi construído aproveitando a geografia do local, sem retirada de árvores. As trilhas ecológicas levam o visitante a lugares pouco conhecidos dos brasilienses.

As características da região, particularmente dotada de diversidade paisagística, com muitos morros e cachoeiras, clima ameno, belezas naturais e tranquilidade são um convite para quem quer fugir do corre-corre da cidade. Os locais não perdem, em termos de qualidade e conforto, para nenhuma cidade turística do Brasil. Uma das provas disso é o ponto turístico da cidade: O RM Hotel Fazenda é o maior do gênero no Distrito Federal, com padrão classe A. Localizado a 13 quilômetros de Sobradinho e 27 do Plano Piloto, no Núcleo Rural I, o hotel fazenda tem 280 hectares de pura natureza, áreas para práticas de esporte, piscinas, lago, centro de convenções com capacidade para 300 pessoas e restaurante para 600 pessoas.
As fazendas da região são mais uma boa opção de lazer. Nelas é possível passar o dia inteiro, por um preço bem acessível, aproveitando para andar a cavalo, nadar em rios, passear ao ar livre, andar de charretes, pescar e ainda saborear as delícias, geralmente típicas dos cardápios goiano e mineiro. Mas além disso elas trazem muito da história do centro oeste brasileiro. Algumas conservam verdadeiras relíquias, são museus rurais que contam como viviam as famílias bem antes do planalto central se transformar na capital do Brasil.
Os restaurantes rurais fazem a alegria de quem aprecia uma boa comida, tirada direto de fogões a lenha e feita com produtos da região. Neles também é possível fazer passeios, andar em trilhas ecológicas, conhecer cavernas e paisagens raras do planalto central.

Cultura
A cultura também é um dos fortes atrativos da cidade. Com a chegada do maranhense Teodoro Freire, em 1961, foi iniciado o processo de perpetuação dos costumes do norte e nordeste no Planalto Central. Em 1963, Sobradinho viu nascer o Boi do Seu Teodoro, festa conhecida e reconhecida em todo o País. Além do Centro de Tradições Populares, que propagou as tradições do Maranhão, Sobradinho ainda conta com diversos artistas plásticos conceituados, como Toninho de Souza e Madame Kalil.

Outros movimentos culturais prosperaram ao longo dos 52 anos da cidade, tais como o Grêmio Recreativo Escola de Samba Bola Preta, que participa ativamente do dia a dia da comunidade oferecendo atividades e oficinas durante todo o ano; os coletivos de rock; e o premiado cineasta Pedro Lacerda.
Um dos principais pontos da cidade é a praça localizada na quadra 8 de Sobradinho, ao lado de um dos maiores centros comerciais da cidade, a hoje nomeada Praça das Artes Teodoro Freire é a maior e principal praça da região. Tem 5.634,96m² e conta com parquinho infantil, anfiteatro, espaço multifuncional (usado como galeria nas atividades ali realizadas) e banheiros.
Idealizada em 1973, recebeu o nome de Praça Santos Dumont devido às comemorações do centenário do nascimento do ilustre aviador Alberto Santos Dumont, nascido em 1873, porém só foi inaugurada em 1974. Outras praças no Distrito Federal faziam a mesma homenagem, como a extinta praça do aeroporto, também chamada Santos Dumont e que tinha um busto do aviador idêntico ao que existe na praça de Sobradinho. Contudo, com a morte do maior representante do folclore popular maranhense em Brasília, a cidade sentiu a necessidade de homenagear um de seus moradores mais ilustres, atribuindo seu nome a um espaço tão conhecido dos sobradinhenses.

História de Sobradinho

O advento da implantação de Brasília no Planalto Central encontrou o homem brasileiro atuando na região há mais de um século.

Comprovam esse fato os registros históricos, o testamento dos descendentes das famílias proprietárias das terras e os dados registrados no Cartório de Títulos e Documentos da atual Cidade de Brasilinha, nova sede do Município de Planaltina de Goiás. Entre os antigos documentos do referido município, às folhas 108 dos Autos do Processo Judicial da FAZENDA SOBRADINHO, encontra-se o nome de "Ribeirão Sobradinho", dado a uma daquelas grandes áreas.

Para melhor documentação histórica, transcrevemos, adiante, o Traslado do Registro das terras:

No livro de lançamento do Registros de Terras possuído no Município da Vila de Santa Luzia, às folhas 106, consta o registro de n. 238 com o seguinte teor: "Declaração que faz JOAQUIM GOMES RABELLO, de uma terras que possui no Município da Vila da Santa Luzia para serem registradas conforme o Regulamento de 30/01/1854. O abaixo-assinado possui um sítio no lugar denominado Sobradinho, distante da Vila treze léguas, cujo sítio e terras a teve por compra que fez a D. CONSTANTINA CLERISSANTA DE MENDONCA, em data de 07 de janeiro de 1853, e segunda ROMANA ALVES PEDROSA, em data de 10 de agosto de 1854, tendo ambas títulos cisados na forma da lei, demarcando-se pela parte do nascente com terras dos herdeiros do finado FILADELPHO CAMELLO DE MENDONCA, pelo poente com VERISSIMO JOSE DA SILVA, pelo norte com os mesmos herdeiros de FILADELPHO e pelo sul com os preditos herdeiros, tendo extensão, de nascente a poente, 02 léguas e, de norte a sul, uma légua do sítio da lagoa. (Em, 15/09/1858)".

Situação

O imóvel denominado "Sobradinho", situado no Município de Vila Planaltina, Comarca de Formosa, Estado de Goiás, dista quatro léguas da Cidade de Formosa.

No local, existe um marco, feito em madeira de lei (ipê) e lavrado em quatro faces, terminado em forma piramidal, com 1,60 metros de comprimento. Está cravado no divisa com a Fazenda Sobradinho Moji, próximo a uma porteira antiga, ficando enterrado 75 cm e tendo suas faces voltadas para os pontos cardeais.

Divisão da Fazenda Sobradinho

Com o falecimento de D. SALVINA FERNANDES DA SILVA, no dia 07 de abril de 1906, a fazenda foi dividida em duas partes: uma comprada por VALERIANA RODRIGUES DE CASTRO, e a outra, herdada por MARIA ANTONIA GOMES E SEBASTIANA GOMES RABELO, ambas filhas da inventariante.

A avaliação das terras da fazenda Sobradinho, em 20 de outubro de 1924, na Vila Planaltina era: 150,00 (cento e cinqüenta mil réis).

Bandeira de Sobradinho
O AUTOR
A idéia do jovem Ludwing Gustav, era retratar de forma simples o que vinha a sua cabeça quando lembrava da cidade. Segundo o artista plástico Thomas Tillmann, pai do autor, o filho dizia enquanto criava a bandeira que a faixa amarela mostrava a subida do Colorado e que o verde vinha das matas que envolviam o percurso. O azul era facilmente visto na parte de cima da paisagem, pois o céu da capital tem uma tonalidade notável. "Ele era inocente e muito criativo, gostava de observar tudo detalhadamente. Quando me contou que ia participar do concurso, já estava com toda a idéia na cabeça", conta o pai
Ludwing Gustav tem hoje 22 anos. É descendente de alemães e atualmente está na Alemanha estudando línguas. Foi para a terra do pai há quase três anos. Estudou música desde pequeno e é apaixonado pelas cifras e melodias extraídas dos instrumentos musicais. Toca piano, flauta e violão clássico, mas sua grande paixão é o violino. Antes de embarcar para a Alemanha fazia apresentações musicais na cidade. Os pais, Thomas e Maria Dolores, ainda moram em Sobradinho, na quadra 9. Em 1988, o garoto participou de todas as solenidades de apresentação da nova bandeira. A imprensa se rendeu a descontração e ao carisma do menino, que vai escrever definitivamente seu nome na história da cidade assim que a nova bandeira for oficializada MEMORIAL DESCRITIVO "BANDEIRA"
O VERDE aliado à natureza, é capaz de nos transmitir tranqüilidade e paz interior.
O AMARELO é fonte de energia luminosa.
O AZUL representando o firmamento, nos estimula a reflexões profundas.
A DIAGONAL transmite idéia de movimento, típico da topografia da Cidade Serrana
simb 1

(Fonte: http://www.sobradinho.df.gov.br/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário