domingo, 2 de março de 2014

RA X - Guará

A cidade do Guará foi criada em maio de 1967 para abrigar funcionários públicos do GDF. Recebeu posteriormente trabalhadores que residiam em núcleos habitacionais provisórios.

O Guará é hoje uma cidade consolidada, composta por uma classe média esclarecida, alto nível de escolaridade e poder aquisitivo elevado, o que garante aos moradores uma boa qualidade de vida.

Pesquisas da Codeplan revelam que o Guará tem a sexta maior renda per capita entre as regiões administrativas do Distrito Federal.

Nos últimos 40 anos a cidade mudou muito, mas continua com o perfil bucólico e tranquilo. A maioria das casas originais construídas pela Shis (Sociedade Habitacional de Interesse Social) nas décadas de 60 e 70, deu lugar a casas com arquitetura diferenciada, sobrados e condomínios de bom nível, evidenciando o crescimento socioeconômico de sua população.

Alterações recentes no Plano Diretor da cidade permitiram também a construção de prédios de apartamentos de luxo de até 20 andares e de novas quadras residenciais em áreas limítrofes à Candangolândia e ao Núcleo Bandeirante.

POR DENTRO DO GUARÁ

A Região Administrativa do Guará (RA X) está localizada em uma área tipicamente urbana, compreendida pelo Guará I e II, Quadras Econômicas Lúcio Costa (QELC), Setor de Oficinas Sul (SOFS), Setor de Garagens e Concessionárias de Veículos (SGCV), Setor de Áreas Isoladas Sudoeste (SAISO), Setor de Clubes e Estádios Esportivos Sul (SCEES) e partes do Setor de Múltiplas Atividades Sul (SMAS) e da Estrada Parque Taguatinga/Guará (EPTG).

O Guará I é formado por seis quadras com numeração ímpar (1 a 11) e onze quadras com numeração par (2 a 22). Cada quadra tem um determinado número de blocos de apartamentos, prédios comerciais e conjuntos de casas, identificados por letras do alfabeto (bloco A, conjunto B, etc).

A disposição das quadras no Guará I segue um padrão, compondo uma série de quadriláteros. Os blocos e casas situados dentro de cada quadrilátero formam uma Quadra Interna (QI); os blocos e as casas localizados ao redor do quadrilátero formam uma Quadra Externa (QE). A identificação das quadras ficou assim: QE 1, QI 1, QE 2, QI 2, e assim por diante.

O Guará II é formado em sua maioria por grandes quadras residenciais em formato quadrangular. Ele é composto por um número variável de conjuntos de casas, identificados por uma letra do alfabeto (A,B,C, etc). Essas quadras residenciais são chamadas de Quadras Extremas (QE). Elas recebem numeração de 13 a 21 (ímpares) e de 24 a 48 (pares).

As Quadras Internas (QI) no Guará II correspondem ao miolo central da cidade, composta por prédios de apartamentos. As QIs do Guará II recebem somente numeração ímpar (23 a 33) e os lotes onde se encontram os prédios são identificados por números (lote 1, lote 2, etc).

No Guará II está localizado também o Centro Administrativo, Vivencial e Esportivo (CAVE), onde encontram-se a Administração Regional, a Feira do Guará e o complexo esportivo, composto por estádio de futebol, ginásio de esportes, kartódromo, pista de skate, quadras coberta e descoberta, quadra de areia (vôlei e futvôlei), pista de bicicross e motocross.

PÓLO DE DESENVOLVIMENTO

A capacidade empreendedora de boa parte dos 175 mil moradores transformou a cidade em um importante pólo de desenvolvimento econômico do Distrito Federal, com um comércio forte e uma indústria em franco processo de crescimento.

São mais de 5.500 empresas, dos mais diversos segmentos, compondo o comércio local, com relevância para os prestadores de serviços. O Guará se destaca também por um comércio forte nas entrequadras residenciais, além de vários shoppings, o Pólo de Modas e da Feira do Guará.

A cidade conta com dois terminais de ônibus, um na QE 16, no Guará I, e o outro na Avenida Contorno, no Guará II. Possui ainda duas estações do metrô: a estação Feira, em operação desde 2001 e a estação Guará, inaugurada em 2012.

A FEIRA DO GUARÁ

A Feira do Guará é um patrimônio da cidade. Na verdade, de todo o Distrito Federal. Afinal, há 44 anos a feira está incorporada ao dia a dia de milhares de fiéis consumidores, que se acostumaram com a qualidade e a variedade dos produtos ofertados, com destaque para a gastronomia e a indústria de confecções. A feira faz parte da Administração Regional, mas é gerenciada pela Associação dos Feirantes, e funciona de quarta a domingo, das 8 às 19 horas.

Recentemente, a feira ampliou o número de boxes, passando para 600 - a maioria de confecções. Em breve, deverá ser inaugurado a Arco da Cultura, espaço com palco que manterá uma programação cultural regular e está sendo construído na área externa da feira.

GUARÁ, O LOBO BRASILEIRO

Guará, do tupi guarani, é o nome que os índios denomiraram o lobo brasileiro - lúpus brasiliense, seu nome científico.

O lobo guará é um animal de porte médio, envergadura alta, alongado e carnívoro. Não é felino e têm pêlos de muita beleza na cor marrom e orelhas foliares de forma ovalada, azul cinza por dentro e cauda  curta.

Entre suas adaptações ao cerrado estão as pernas longas que facilitam a locomoção e a visualização sobre a grama alta: suas grandes orelhas e audição aguçada permitem localizar com facilidade animais sob a vegetação.

É um animal tímido e se matém afastado do ser humano. Todavia é comum aparecer nas fazendas atraído pelo cheiro da comida, principalmente do arroz cozido ou por animais domésticos, como galináceos. Também se alimenta de vegetais, frutas silvestres e pequenos animais.

Na sua dieta é indispensável o fruto da lobeira (solanum lycocarpum), que serve como um vermífugo natural contra a parasitose renal, provocada pelo nematóide dioctophyna renale. Na ausência deste fruto, o animal morre.
(Fonte: http://www.guara.df.gov.br/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário