quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

15 fatores que prejudicaram a construção de Brasília

Brasília foi uma cidade que todos falam que houve um ótimo planejamento, uma cidade organizada e diferente de qualquer outra do planeta. Mas será realmente isso? Veja 15 fatores que prejudicaram a construção de Brasília fazendo com que ela fique como está hoje.

1. Utilizar o projeto de um avião que não decolou

2. Falta de uma escolha para o início da construção

3.  O desenvolvimento de um projeto que 99% era contra, mas um aquele 1%...

4. Apontar uma Avenida Monumental que só não tem monumento.

5. Um presidente que só pensou em luxo.

6. Trabalhadores que não tinham ânimo para trabalhar

7. Construir igreja que mais parece uma toca de índio

 8. A utilização de geometrias inadequadas à construção.

9. O esquecimento de um cartão postal

 10.  Construir prédios enfileirados sem nenhum sentido

 11. A construção de uma torre em um lugar onde não leva sinal para ninguém

12. Falta de planejamento para construções fora do centro

13.  O desenvolvimento de um lago que engoliu metade da cidade

 14. Escolha de monumentos no meio do nada

15. Falta de planejamento das moradias dos habitantes 


Nota final: este foi um post irônico com o objetivo de apontar à excelência na construção de Brasília, e expressá-la como modelo para qualquer outra cidade.

5 comentários:

  1. Brasília foi concebida em meio a ideias modernistas, sendo o principal aspecto das mesmas o uso abusivo de curvas em suas construções, ao contrário dos retangulares prédios presentes em cidades que precedem a capital. Sendo assim, ao escrever no artigo que as geometrias utilizadas são "inadequadas à construção" de tais monumentos e edifícios, torna-se evidente a falta de intimidade do autor do artigo quanto às ideias que possibilitaram a construção da cidade como ela é hoje e, ao mesmo tempo, expressa um ideal que se contradiz, já que tais construções foram realizadas, concluídas e estão "em pé" até hoje, mostrando que suas geometrias não são tão "inadequadas" assim.
    Ainda sobre o artigo e partindo para o seu tópico 4, a falta de intimidade misturada com a falta de conhecimento histórico da cidade se tornam ainda mais evidentes. Ora, se não é possível considerar uma torre de transmissão com mirante e espaço cultural, uma igreja - "toca de índio" segundo o autor - juntamente com um museu e biblioteca com arquiteturas completamente distintas de qualquer edifício de função semelhante no mundo, o que vem a ser um monumento se não uma construção que expressa em sua estrutura seus motivos simbólicos, comemorativos e funcionais que permitiram a sua construção?
    Sobre os tópicos 1, 12, 13 e 15, claramente o autor se desfaz da lógica territorial brasiliense e, ao expressar sua opinião sobre o Lago Paranoá “que engoliu metade da cidade”, demonstra a sua total ignorância a respeito do conceito cidade de Brasília e de suas cidades satélites. Que fique bem claro: a área territorial de Brasília corresponde à área do Distrito Federal e a cidade é formada por regiões administrativas e que cujo centro é a região formada pelo “avião que não decolou” e pelo Parque Nacional, que abriga uma reserva florestal com nascentes de afluentes que abastecem o lago e rios posteriores, denominada assim de Plano Piloto; Sobre a os edifícios fora do centro da cidade, de nada devem requerer atenção do governo local quanto à elaboração de projetos e construção se não são de caráter públicos, devendo somente obedecer leis locais e com respeito principalmente ao tombamento da cidade; Como o autor simplesmente ignorou a existência de cidades satélites, é evidente que ele também tenha ignorado a existência da maior parte dos setores residenciais da cidade. É claro que Brasília enfrente problemas de invasões e consequentemente de um crescimento desordenado em certas regiões, mas isso é um problema atual e enfrentado pelos governos atuais, o que não vem a ser o foco do artigo.
    Por último, ao desconsiderar todos os monumentos existentes desde o início do Eixo Monumental até o seu fim, nas proximidades da Praça dos Três Poderes, é um tanto irônico de sua parte voltar a considerar alguns monumentos da cidade e alegar que os mesmos estão em lugares que são o “meio do nada”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claramente o autor não possui o devido conhecimento da capital federal para a criação desse "artigo"

      Excluir
    2. Amigo, todos os pontos deste post foram irônicos e ilógicos, pois as fotos demonstram o contrário do que os tópicos apontam. O objetivo desta pastagem é, através da ironia, enfatizar que Brasília é uma cidade diferenciada e um modelo para qualquer outra.
      Obrigado pela crítica, porém você interpretou a pastagem de uma outra maneira.

      Excluir
    3. Cara, acho que você também não entendeu que nosso textão lá em cima era apenas uma brincadeira e que a gente entendeu o sentido da sua postagem.
      Só um louco lunático faria uma coisa daquela tão a sério. kkkkkkk
      Parabéns pelo blog!

      Excluir
    4. Amigo, fico aliviado, pois levei um susto com o comentário kkkk até botei um aviso no final do post pra evitar futuros desentendimentos kkkkk. Obrigado pelo comentário e até a próxima!

      Excluir